[Brasão Prefeitura de Piên]

Piên adere ao Programa Família Parananense

O Programa tem como objetivo promover o desenvolvimento social e a emancipação das famílias que se encontram em situação de alta vulnerabilidade social no estado do Paraná

Por Pamela Ritzmann dia

Piên adere ao Programa Família Parananense

Na última terça-feira (12), a Prefeitura de Piên através da Secretaria de Ação Social realizou uma apresentação do Programa Família Paranaense, que foi aderido recentemente pelo município, através da assinatura de um convênio. Participaram vereadores, secretários municipais, servidores, técnico da Emater e entidades. O encontro foi ministrado pelo advogado e técnico de referência do Programa Família Parananense, Bruno Cardoso, e pela assistente social Giovanna Fernandes, representando Leslie Canestraro Skroch, chefe do escritório regional da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social do Paraná.

Durante o encontro, Bruno ressaltou que o objetivo da apresentação foi estimular todas as secretarias e setores municipais a atuarem em parceria para colocar o Programa em prática. “O intuito do Família Paranaense é a intersetorialidade, ou seja, fomentar que todos os setores andem de mãos dadas e atuem em favor das famílias de Piên”, ressaltou.

A secretária de Ação Social e Defesa Civil, Patrícia Adelina Ferreira Dreveck, também aproveitou para destacar que o Família Paranaense traz novas oportunidades para as famílias pienenses. “O Programa abrange diversas ações legais para as famílias em vulnerabilidade social. Estou muito feliz pelo prefeito ter assinado o termo de adesão e por podermos apresentar este novo projeto. Temos um desafio grande, mas tenho fé e confiança que, com a parceria e colaboração das demais secretárias vamos sim conseguir bons resultados. É um Programa que vem para somar”, comentou.

Piên adere ao Programa Família Parananense

O que é o Família Paranaense

O Programa Família Paranaense foi instituído por uma lei em 2013 e destina-se à proteção e promoção das famílias que se encontram em situação de alta vulnerabilidade social no estado do Paraná, integrando ações das áreas da assistência social, habitação, educação, trabalho, agricultura, abastecimento e segurança alimentar entre outras.

O público-alvo do Programa são as famílias em situação de alta vulnerabilidade social, segundo Índice de Vulnerabilidades das Famílias (IVF/PR). Para definição dessas famílias, utiliza-se a base de dados do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). O IVF-PR é aplicado para medir a vulnerabilidade e elencar hierarquicamente as famílias, priorizando-as.

Entre os objetivos do Programa estão promover a melhoria das condições de vida de famílias em situação de vulnerabilidade social, por meio da oferta de ações, serviços e benefícios planejados de acordo com a realidade de cada família e de onde ela reside; viabilizar cofinanciamento de ações, serviços e benefícios; estabelecer diretrizes, entre outros.

No total, dos 399 municípios paranaenses, 374 aderiram ao Programa, dos quais 156 são tidos como prioritários. Piên faz parte dos 208 municípios que realizaram adesão espontânea ao Programa.

Em Piên

Atualmente, Piên conta com 1.180 famílias cadastradas e atualizadas no CadÚnico, das quais 301 estão em alta vulnerabilidade social. Dessa forma, a meta inicial para a cidade é cadastrar, pelo menos, 80 pessoas até o final deste ano, das que se encontram em vulnerabilidade social, no Programa Família Paranaense. A seleção e inclusão das famílias será analisada por um comitê que será formado por servidores e entidades conheçam a realidade das famílias locais e realizem os diagnósticos. É preciso destacar ainda que as famílias precisam aceitar participar do Programa.


Depois de cadastradas, as famílias serão acompanhas e monitoradas pelas secretarias municipais, por meio de um sistema que indica o número de famílias cadastradas no CadÚnico, que estão em vulnerabilidade social, que estão inclusas no Família Paranaense, além de elencar todas as ações que estão em andamento. O objetivo é que as famílias sejam acompanhadas por, no máximo dois anos, e que possam evoluir durante este período para poderem se desligar do programa. “O objetivo é emancipar famílias para que passem a ser autônomas depois deste períodos de acompanhamento”, ressalta a secretária Patrícia.

Para se cadastrar no CadÚnico, as pessoas podem comparecer à sede do CRAS, na Rua Campo Grande, ao lado do Ginásio Cláudio de Oliveira Mendes.

Auxílio

Inicialmente, o município receberá um recurso de incentivo pela adesão do programa, para melhoria nos serviços do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) e em breve também será aberto um edital para um projeto de habitação que poderá beneficiar o publico prioritário incluído no Programa Família Paranaense.

O Programa também contempla o Renda Família Paranaense, que realiza a transferência direta de renda às famílias em situação de vulnerabilidade social, por meio do benefício complementar às que recebem o Bolsa Família e que possuem renda per capita superior a R$ 77,00 e inferior a R$ 87,00, independente do IVF-PR. O valor do benefício é variável e calculado de acordo com a renda per capita. Com esse complemento, o Paraná eleva a Linha de Extrema Pobreza para R$ 87,00, promovendo o estado como líder de redução da extrema pobreza no Sul e no Sudeste.

Família paranaense, uma nova vida começa aqui!

  • Compartilhe essa página
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp